Maternidade

Síndrome Mão-pé-boca

O Miguel, que está com nove meses pegou novamente a síndrome mão-pé-boca, a primeira vez foi com cinco meses e confesso que eu fiquei perdida quando o vi com várias bolinhas vermelhas pelo corpo, ele não reclamou e nem sequer chorou por isso, mas claro que o levei ao pronto socorro para saber mais sobre esta doença. Vou compartilhar com vocês!

  • O que é?

A síndrome mão-pé-boca é uma enfermidade contagiosa causada pelo vírus ‘’Coxsackie’’, que geralmente habita o sistema digestivo e pode provocar estomatite, que é uma espécie de afta que afeta a boca. Embora possa acometer os adultos, é mais comum na infância, antes dos cinco anos de idade.

Nós mães ou responsáveis podemos identificar alguns sinais desta doença, que são eles: febre alta antes de aparecer as lesões pelo corpo; aparecimento da lesão na boca; amídalas e faringe com manchas vermelhas com vesículas branco-acinzentadas no centro (pode evoluir e se tornar doloroso para a criança); erupção de pequenas bolhas em geral nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, mas também pode ocorrer nas nádegas e na região genital.

E não tem jeito, isso pega mesmo! A transmissão se dá pela via fecal, via oral, contato direto com pessoas e até mesmo fezes, saliva e outras secreções, ou também objetos e alimentos contaminados. Não existe vacina contra esta doença e a pessoa pode transmitir o vírus pelas fezes durante aproximadamente quatro semanas.

Esta síndrome pode durar de um a sete dias, mas ao se espalhar pode permanecer por até quinze dias. Na maioria dos casos, os sintomas são leves e podem ser confundidos com um resfriado, eu cheguei até a fazer várias inalações com soro no Miguel. É muito importante manter a criança bem hidratada e com uma alimentação adequada, pois pode causar dor e devido a isso a criança pode sentir dificuldade em engolir os alimentos.

Mas, mantenha a calma! O Miguel permaneceu em repouso e melhorou super rápido! O médico receitou um antitérmico e um anti-inflamatório e logo surgiu efeito. Apesar da dor na garganta, é extremamente importante oferecer bastante líquido para a criança e deixá-la repousar, além de se alimentar bem.

Espero que tenham gostado da informação, afinal informação nunca é demais. Comente o que acharam da matéria, divida sua experiência comigo também! Beijo